sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Existe um país...

Depois de longa e tenebrosa ausência, volto por essas plagas por um motivo muito simples: em meio aos Jogos Olímpicos, (diga-se de passagem a abertura criada por Zang Yimou foi a mais bonita que eu vi até hoje) alguém se lembra que existe um país chamado Georgia? Que ele foi invadido pela Rússia no dia seguinte a abertura dos Jogos? Que aduanas, hospitais, áreas residenciais e rodovias foram os primeiros alvos? Na França, uma coisa que eu admiro é a importância que o povo francês dá para a liberdade. Sei que o Presidente Bling Bling (forma muito carinhosa como a imprensa chama o atual Presidente da França e da União Européia, Nicolas Sarkozy) acaba de aprovar a Lei de Imigração; algo duro e para lá de impertinente nos tempos atuais (se informem, por favor). Mas, aqui, a liberdade de existir enquanto um povo, uma nação, uma sociedade democrática é vital. A forma como os franceses abraçaram a causa Tibetana é um exemplo, os manifestos pela formação do estado da Palestina é outro e, agora, o engajamento da população e da imprensa francesa sobre a invasão da Georgia. Pois é, alguém aí no Brasil, na América Latina, em qualquer outra parte se lembra que em meio aos Jogos Olímpicos, medalhas e espírito esportivo existe um país chamado Georgia, outro que é a Palestina e um que se chama Tibet?

2 comentários:

Luiz Navarro disse...

pois é, cris! acho que muitas pessoas se lembram sim que esses países existem. o problema é que nem sempre sabemos o que podemos fazer para interferir em um conflito lá na geórgia, contra um país da dimensão da rússia... foda!

Cristiana Brandão disse...

Louis, na cobertura em massa e choque com a invasão da Georgia, vi muito pouca coisa de peso publicada em sites e jornais do Brasil. Como o discurso geral por aqui é "Terceira Guerra Mundial", escrevi no mesmo ritmo. O que fazer? Se informar muito. Está mais sério do que parece. Os campos de refugiados e a mobilização dos outros países no entorno são marcantes. É foda sim, mas até os EUA já deslocou tropas para a Polônia. Isso aqui é um barril de pólvora.