segunda-feira, 7 de julho de 2008

Eurockéenes 2008

Para quem curte números: foram 70 shows dividos em 5 palcos nos 3 dias de festa da 20 edição do Eurockéenes 2008. 100 mil pessoas passaram pela cidade de Belfort, região do quirche Lorraine, quase na fronteira da França com a Alemanha, para se divertirem ao som de bandas e artistas reconhecidos e em busca de algum lugar ao sol. Com uma produção de tirar o chapéu (foram 1000 profissionais envolvidos no evento - da limpeza a curadoria), o Eurockéenes faz parte da enlouquecida agenda de festivais de verão. Se imagine 7 meses sentindo muuuuuuuuuuuito frio e aí chega o verão. Com ele, os festivais. E em todos, artistas como Camille, CSS, Moby, Girl Talk e mais uma dúzia se dividem para cumprir a apertada agenda pela Europa. Na França, brilharam as estrelas que já possuem seu lugar no pódio: Nick Cave, Sharon Jones, Offspring e Cat Power (poderosíssima, diga-se de passagem), mas o festival também abriu espaço para quem está na batalha. Girl Talk, Sinik, Vampire Weekend e Comets on Fire arrancaram aplausos do público. Mas a banda que levantou a platéia (e olha que levantar uma platéia francesa é um trabalho hercúleo) foi a americana Gossip. Eu estava lá! Eu vi! O público enlouqueceu com a performance primorosa, arrebatadora e peso-pesado da diva-disco-punk Beth Ditto. De combinação e depois de calcinha e sutiã, Beth arrastou caixas de som e a multidão. E a moça canta, canta muito. Segura a banda nas costas e ainda se diverte com o público. Outro que arrasa quarteirão é o souffly (exú) Max Cavalera. Metal não é o meu forte (protetores auriculares na alta temporada), mas a Cavalera Conspiracy merece respeito. E que seja dito: os caras sobem ao palco com a bandeira do Brasil. Olha, para quem está do lado de cá do Atlântico, isso significa muito. O mesmo não dá para dizer dos grupos MGMT e Babyshambles. Com apresentações bonitinhas, eles deixaram um gostinho de "prefiro o cd" na boca. Hip Hop, pop, eletro, folk. Teve som para todos os gostos no Eurockéenes 2008. Mesmo debaixo de chuva e atolados na lama (o terceiro dia foi o mais cheio e o mais úmido), o público pode conferir na raça artistas que vão da chanson ao progressivo passando pelo psicodélico e caindo no bom e velho rock and roll.

2 comentários:

Anônimo disse...

isso deve ter sido muito bom...

patricia disse...

conta mais...